COMBONIANUM – Spiritualità e Missione

–– Sito di FORMAZIONE PERMANENTE MISSIONARIA –– Uno sguardo missionario sulla Vita, il Mondo e la Chiesa A missionary look on the life of the world and the church –– VIDA y MISIÓN – VIE et MISSION – VIDA e MISSÃO ––

José Tolentino Mendonça: «Teologia dos sentidos»

Jornal do Vaticano destaca «teologia dos sentidos» de José Tolentino Mendonça.

da Capa do livro A mística do instante
da Capa do livro “A mística do instante”

Recentemente  “L’Osservatore Romano”, dedicou meia página a analisar «a teologia dos sentidos» do P. José Tolentino Mendonça,  publicado originalmente pela Paulinas Editora em 2014 e traduzido o ano passado para italiano, com o título “Mistica dell’instante. Tempo e promessa”, pela “Vita e Pensiero”.

«Não há separação entre alma e corpo», escreve Antonella Lumini sobre o livro “A mística do instante”. A cisão da alma e do corpo «é estranha à tradição bíblica, na qual o ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus, é considerado na sua integridade: “O corpo já não é um revestimento externo do princípio espiritual ou uma prisão da alma, como pretende o platonismo e as suas muitas réplicas”», refere o artigo, citando o livro.

«Dado que o acontecimento da incarnação é o fulcro do cristianismo, também a nível teológico», urge «a necessidade de uma inversão de perspetiva quanto ao corpo e à realidade sensível», salienta a autora no início do texto.

Depois de o cristianismo ter elaborado uma conceção do corpo «como causa de pecado», nas últimas décadas o mundo ocidental tendeu «para o extremo oposto, chegando ao paradoxo de idolatrar o corpo como objeto exterior».

«É urgente», por isso, situar o corpo «no seu lugar» e ao mesmo tempo entendê-lo como realidade «habitada pelo Espírito», assinala Antonella Lumini sobre o propósito da obra de Tolentino Mendonça.

Durante séculos, a teologia preconizou a «noite escura dos sentidos», pelo que «a procura interior implicou sempre uma luta contra a realidade sensível, como se o divino fosse completamente estranho “às potencialidades do corpo e à sua gramática”», aponta o texto.

As referências do atual vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa são Thomas Merton, Michel de Certeau e, «em particular, Raimon Panikkar, segundo o qual “a mística não é outra coisa senão a experiência integral da vida”».

«Por isso não diz respeito a poucos eleitos, mas a quem se abra a uma experiência livre e pessoal de Deus e do seu Espírito através de uma adesão total, sem mais rejeições, ao instante presente», sustenta a autora.

Para «poder colher o instante», é preciso «educar os sentidos», de modo que se tornem uma «”porta aberta”», indica Tolentino Mendonça, que «fragmento após fragmento, recorrendo a passos bíblicos, citações de poetas e escritores, consegue realçar as extraordinárias valias de cada um dos cinco sentidos, individuando na experiência sensorial profunda o canal preferencial através do qual se tece a subtil relação entre Deus e a humanidade».

Antonella Lumini salienta as intuições «particularmente atuais e estimulantes do livro», notando «um aspeto talvez pouco evidenciado: o psíquico».

«Se a alma orienta o seu conatural desejo de infinito para os bens materiais, desnatura os sentidos, que perdem a sua medida criatural, e de canais da luz divina tornam-se canais de pulsões excessivas, instrumentos de pesada escravidão. “Um dos nossos problemas são os círculos sem saída que vamos construindo, e que são prisões invisíveis que explodem com a nossa liberdade”.»

Por conseguinte, considera a autora, o corpo não é «causa de pecado, mas o psíquico. Os sentidos são vias de conexão entre indivíduo e tudo, entre eu e Deus, mas se se bloqueiam deixam de ser portas abertas, tornando-se barreiras que dão só a medida da distância».

«O instante abre à contemplação da beleza», que é «a medida perfeita da criação e que, irradiando-se, penetra os sentidos despertando-os para a luz criadora», conclui Antonella Lumini.

Rui Jorge Martins
Publicado em 29.02.2016
http://www.snpcultura.org

 

Annunci

Un commento su “José Tolentino Mendonça: «Teologia dos sentidos»

  1. djiko31
    07/04/2016

    L’ha ribloggato su Djiko90.

    Mi piace

Rispondi a djiko31 Annulla risposta

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione /  Modifica )

Google photo

Stai commentando usando il tuo account Google. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione /  Modifica )

Connessione a %s...

Questo sito utilizza Akismet per ridurre lo spam. Scopri come vengono elaborati i dati derivati dai commenti.

Informazione

Questa voce è stata pubblicata il 07/04/2016 da in Fé e Espiritualidade, PORTUGUÊS con tag , .

  • 327.134 visite
Follow COMBONIANUM – Spiritualità e Missione on WordPress.com

Inserisci il tuo indirizzo email per seguire questo blog e ricevere notifiche di nuovi messaggi via e-mail.

Segui assieme ad altri 734 follower

San Daniele Comboni (1831-1881)

COMBONIANUM

Combonianum è stata una pubblicazione interna nata tra gli studenti comboniani nel 1935. Ho voluto far rivivere questo titolo, ricco di storia e di patrimonio carismatico.
Sono un comboniano affetto da Sla. Ho aperto e continuo a curare questo blog (tramite il puntatore oculare), animato dal desiderio di rimanere in contatto con la vita del mondo e della Chiesa, e di proseguire così il mio piccolo servizio alla missione.
Pereira Manuel João (MJ)
combonianum@gmail.com

Disclaimer

Questo blog non rappresenta una testata giornalistica. Immagini, foto e testi sono spesso scaricati da Internet, pertanto chi si ritenesse leso nel diritto d’autore potrà contattare il curatore del blog, che provvederà all’immediata rimozione del materiale oggetto di controversia. Grazie.

Categorie

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: