COMBONIANUM – Formazione Permanente

UNO SGUARDO MISSIONARIO SUL MONDO E LA CHIESA Missionari Comboniani – Formazione Permanente – Comboni Missionaries – Ongoing Formation

Halloween, entre consumismo e paganismo.


São Odilo instituiu a comemoração dos Fieis Defuntos,
um dia após a festa de Todos os Santos.

Halloween Bores MeHalloween deriva da expressão “All hallow’s eve”, que em Inglês antigo significa ‘véspera de Todos os Santos’, e refere-se a esta noite, véspera da Festa de Todos os Santos. No entanto, o antigo costume anglo-saxão perdeu seu sentido estritamente religioso para manter no lugar a noite do terror, das bruxas e fantasmas. Halloween marca um triste retorno ao paganismo antigo, tendência que nos últimos anos também tem se espalhou entre os povos latino-americanos.

Hoje em dia o Dia das Bruxas é especialmente um grande negócio. Máscaras, fantasias, doces, maquiagem e outros itens são um motor mais do que suficiente para que alguns empresários fomentem o consumo mórbido do terror. Uma cultura consumista que propicia e aproveita as oportunidades para fazer negócio, sem se importar como.

Hollywood tem contribuído para a propagação desta festa tornando-a macabra com uma série de filmes nos quais a violência gráfica e os assassinatos criam no espectador um estado de angústia e ansiedade. Estes filmes são vistos por adultos e crianças, criando medo nos pequenos e uma ideia errônea da realidade.

A atual celebração do Halloween se distancia dos valores da Igreja, colocando-se longe da comemoração dos Fieis Defuntos, com conotações nocivas e contrárias aos princípios elementares da nossa fé.

No entanto, muitos cristãos tentam converter esta festa com espírito pagão, em uma ocasião propícia para recordar com a oração os seres queridos e meditar sobre a realidade da morte, que a civilização atual procura retirar com frequência da consciência das pessoas, imersas nas preocupações da vida diária.

A prática de orar pelos mortos é extremamente antiga. Já no Antigo Testamento, no segundo livro dos Macabeus, Judas envia uma coleta à Jerusalém para oferecê-la como expiação pelos mortos em batalha. Pois, diz o escritor sagrado, é um pensamento piedoso e santo rezar pelos mortos para que sejam libertos do pecado.

Desde os primeiros tempos, a Igreja honrou a memória dos defuntos e ofereceu sufrágios em seu favor, em especial o sacrifício eucarístico, e recomenda as esmolas, as indulgências e as obras de penitência em seu favor.

No século VI os beneditinos tinham o hábito de rezar pelos mortos no dia seguinte ao de Pentecostes. São Odilo, quinto abade do Mosteiro de Cluny, no sul da França, foi o primeiro que instituiu nos mosteiros da sua Ordem a comemoração dos Fieis Defuntos, no dia seguinte à festa de Todos os Santos, cujo rito aprovou e abraçou depois a Igreja Universal.

O abade de Cluny instaurou em 998 a celebração do 2 de novembro como uma prática obrigatória em sua comunidade, que deveria oferecer esmolas, orações e sacrifícios por todas as almas do purgatório. Da mesma forma difundiu esta prática de caridade entre os fiéis que o rodeavam. De lá se espalhou para outras congregações beneditinas e entre os cartuxos; a diocese de Liège adotou-a pouco depois, e em Milão se aprovou no século XII. Começando pela Abadia de Cluny, gradualmente o hábito de intercessão solene pelos mortos, com uma celebração que São Odilo chamou de a festa dos mortos, uma prática que hoje já está em vigor em toda a Igreja.

A tradição de visitar o cemitério para rezar pelas almas dos que já partiram deste mundo, é acompanhada por um profundo sentimento de devoção, onde se tem a convicção de que a pessoa amada precisa de sufrágio eucarístico e das orações. Ao orar pelos defuntos, a Igreja contempla antes de tudo o mistério da ressurreição de Cristo que, com a sua cruz, nos obtém a salvação e a vida eterna.

ROMA, 31 de Outubro de 2014 (Por Ivan de Vargas, Zenit.org)

Annunci

Rispondi

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

San Daniele Comboni (1831-1881)

Inserisci il tuo indirizzo email per seguire questo blog e ricevere notifiche di nuovi messaggi via e-mail.

Segui assieme ad altri 1.336 follower

Follow COMBONIANUM – Formazione Permanente on WordPress.com
ottobre: 2016
L M M G V S D
« Set   Nov »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

  • 127,453 visite

Disclaimer

Questo blog non rappresenta una testata giornalistica. Immagini, foto e testi sono spesso scaricati da Internet, pertanto chi si ritenesse leso nel diritto d'autore potrà contattare il curatore del blog, che provvederà all'immediata rimozione del materiale oggetto di controversia. Grazie.

Tag

Aborto Advent Advento Africa Alegria Ambiente America Amor Amore Amoris laetitia Anthony Bloom Arabia Saudita Arte Arte cristiana Arte sacra Asia Bibi Ateismo Avent Avvento Bellezza Benedetto XVI Bibbia Bible Biblia Boko Haram Book of Genesis Bruno Forte Capitalismo Cardinal Newman Carême Chiamate in attesa Chiesa China Chrétiens persécutés Church Cibo Cina Cinema Confessione Contemplazione Cristianesimo Cristiani perseguitati Cristianos perseguidos Cristãos perseguidos Cuaresma Cuba Cultura Curia romana Daesh Dialogo Dialogo Interreligioso Dialogue Dio Diritti umani Domenica del Tempo ordinario (A) Domenica del Tempo Ordinario (C) Domenica Tempo ordinario (C) Donna Ecologia Economia Ecumenismo Enciclica Enzo Bianchi Epifania Estados Unidos Eucaristia Europa Evangelizzazione Fame Famiglia Famille Family Família Fede Fondamentalismo France Gabrielle Bossis Genesi Gianfranco Ravasi Giovani Giovedì Santo Giubileo Gregory of Narek Guerra Guglielmo di Saint-Thierry Gênesis Henri Nouwen Iglesia India Iraq ISIS Islam Jacob José Tolentino Mendonça Kenya La bisaccia del mendicante La Cuaresma con Maurice Zundel La Madonna nell’arte La preghiera giorno dopo giorno Laudato si' Le Carême avec Maurice Zundel Lectio Lectio della Domenica - A Lectio Divina Lent LENT with Gregory of Narek Le prediche di Spoleto Libia Libro del Génesis Libro della Genesi Litany of Loreto Litany of Mary Livre de la Genèse Livro do Gênesis Madonna Magnificat Maria Martin Lutero martiri Matrimonio Maurice Zundel Medio Oriente Migranti Misericordia Mission Missione Morte México Natale Navidad Nigeria Noël October Oración Oração Pace Padre Cantalamessa Padre nostro Padri del Deserto Paix Pakistan Papa Francesco Papa Francisco Pape François Paraguay Paul VI Paz Pedofilia Perdono Persecuted Christians Persecution of Christians Persecuzione anti-cristiani Persecuzione dei cristiani Pittura Pobres Pobreza Politica Pope Francis Poveri Povertà Prayers Preghiera Profughi Quaresima Quaresima con i Padri del Deserto Quaresma Quaresma com Henri Nouwen Raniero Cantalamessa Rifugiati Rosary Sacramento della Misericordia Santità Scienza Sconfinamenti della Missione Settimana del Tempo Ordinario Silvano Fausti Simone Weil Sinodo Siria Solidarietà Spiritualità Stati Uniti Sud Sudan Synod Terrorismo Terrorismo islamico Testimoni Testimonianza Thomas Merton Tolentino Mendonça Turchia Uganda Vatican Vaticano Venerdì Santo Viaggio apostolico Violenza Virgin Mary Von Balthasar Zundel
%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: