COMBONIANUM – Formazione Permanente

UNO SGUARDO MISSIONARIO SUL MONDO E LA CHIESA Missionari Comboniani – Formazione Permanente – Comboni Missionaries – Ongoing Formation

Você já sabe que Aniversário estamos celebrando?!


Em 2017, nós Missionários Combonianos estamos celebrando 150 anos da fundação do nosso instituto. Pedimos, pois, ao Pe. David Glenday, que foi superior geral desde 1991 a 1997 e agora é secretário geral da USG (União dos superiores gerais) em Roma, para partilhar conosco o significado deste acontecimento para ele.


mccj-150


GLENDAY.jpgCelebrar o 150º aniversário da fundação do Instituto, por S. Daniel Comboni, é muito pessoal. É a celebração de uma graça muito diversificada que me acompanhou desde os meus primeiros anos, e que eu fui aprendendo a apreciar e entender profundamente ao longo dos acontecimentos e diferentes fases da minha caminhada missionária. Para mim, esta celebração é gratidão, em especial a minha gratidão para com S. Daniel Comboni, pelas maneiras como o Instituto conformou profundamente e enriqueceu a minha vida. Gostaria de partilhar somente 3 entre muitas razões para esta minha gratidão.

Experiência de Deus e Fé

No seu “Plano para a Regeneração da África”, Daniel Comboni deixa bem claro que vive a sua missão, incluindo todas as iniciativas que a missão o leva a assumir, como um compartilhar da única missão de Deus.

Refletindo e rezando a sua primeira e profundamente difícil experiência de missão na África Central, descobre que lá, circundado pela perda e desastre aparente, ele acabou de fato conhecendo o Deus vivo, um Deus-em-comunidade e um Deus em missão, um Deus que sai até aos confins da terra, levando-nos com Ele, se o deixarmos. É por isto mesmo que, quando Comboni funda o seu Instituto, imagina-o como um “pequeno Cenáculo”, Pentecostes atual, um lugar onde os humanos somos introduzidos no mistério missionário da Trindade.

É esta a razão porque a verdadeira vida deste Instituto é uma vida no Espírito, e pela qual um modo adequado de celebrar os 150 anos significa que o melhor ainda está para vir. É esta a razão pela qual pode muito bem acontecer que a fragilidade e limites atuais do Instituto, em vez de constituirem obstáculo à missão, podem ser a forma de descobrir onde e como o Espírito nos está conduzindo em direção ao futuro. Por outras palavras, esta celebração é tanto do futuro como é do passado.

Esta Obra é católica

Eu nasci na Índia, de mãe Irlandesa e pai Escocês, e assim penso que não é estranho eu ser especialmente grato pelo facto de S. Daniel Comboni, logo de início, querer que o seu Instituto fosse internacional, ou “Católico”, como ele gostava de dizer. O Deus que ele descobriu e experimentou era um Deus para o mundo inteiro, envolvendo a toda a Igreja numa missão dirigida a todos os continentes, nações, línguas e culturas. Somente sendo aberto a membros de todas as nações é que este Instituto podia – Comboni sentiu e entendeu com clareza – ser testemunha efetiva e credível da missão de Deus no mundo.

Este caminho nunca foi, nem será fácil para nós Missionários Combonianos, e já tivémos nossas lutas e falhas ao longo da história. Há, no entanto, algo muito belo pois, algumas vezes apesar de nós mesmos, sempre acabámos voltando atrás, de regresso ao desejo e intuição do nosso fundador. No fundo dos nossos corações, sabemos que somos chamados a ser uma pequena semente no mundo daquela família pela qual o Pai anseia e deseja.

Como é evidente, eu estou profundamente agradecido a muitos Missionários Combonianos. Foi-me dada a graça e a oportunidade de pertencer a este Instituto, as quais eu devo, sem dúvida alguma, à intuição e visão do Fundador.

papa francisco david glenday instituto comboniano

Uma Missão para Todo o Discípulo

Ao celebrarmos 150 anos desde que Daniel Comboni teve a coragem de fundar o seu Instituto, somente podemos admirar-nos ante a vastidão, vitalidade e acuidade da sua visão. De novo, logo desde o início, ele foi claro, tanto no pensar com no agir, em como Deus tinha partilhado a sua missão com a igreja inteira, com todos e cada um dos batizados e apesar das muitas dificuldades que encontrou, manteve-se sempre firme no seu propósito e visão.

Cada bispo, sublinhou, foi chamado e ordenado para aceitar a responsabilidade pela evangelização do mundo inteiro e não somente pela sua diocese. Foi pois ao Concílio Vaticano I, para convencer disto os bispos. O seu Instituto não devia ser constituído somente por padres, mas também por leigos totalmente dedicados à missão. Os Irmãos que tiveram uma contribuição tão rica durante estes 150 anos, sem os quais este Instituto não seria comboniano.

Dentro da mesma dinâmica, Daniel Comboni envolveu também mulheres na missão desde o início e fundou o Instituto das suas Irmãs. Os 2 Institutos são 2 pulmões do mesmo corpo, e o conjunto somente pode respirar e viver bem quando esta verdade é vivida na prática diária da missão de comboniana. O Fundador lançou mão de leigos, mulheres e homens, de outros Institutos missionários e grupos, comunidades de Irmãs contemplativas; antes de ser teoria, esta foi para Comboni a realidade da missão, uma realidade que continua a desafiar e provocar.

Nesta linha de pensamento, um aspeto particularmente belo e evocativo da fundação do nosso Instituto por S. Daniel Comboni são os relacionamentos e as amizades. Ele conviveu com tantas figuras de grandes missionários do seu tempo: S. João Bosco, S. Arnold Jansen, fundador dos Missionários do Verbo Divino, com o Pe. Jules Chevalier, fundador dos Missionários do Sagrado Coração, etc. Também nisto a celebração dos 150 anos nos desafia e nos orienta para o futuro.

Obrigado e Sim

Tal com o papa Francisco diz, ao início do Evangelho da Alegria (EG 13), a alegria do evangelizador sempre brilha contra o pano de fundo da memória agradecida. É esta alegria e este tipo de memória que me enche e me entusiasma mais ainda hoje do que no dia em que encontrei Daniel Comboni, há muitos anos. De forma simples, estou contente por este santo missionário ter feito o que fez.

 Fotos: Arquivo comboniano – Roma
http://www.combonianos.org.br


Annunci

Rispondi

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

Informazione

Questa voce è stata pubblicata il 14/02/2017 da in PORTUGUÊS, Vocação e Missão con tag .

San Daniele Comboni (1831-1881)

Inserisci il tuo indirizzo email per seguire questo blog e ricevere notifiche di nuovi messaggi via e-mail.

Segui assieme ad altri 1.347 follower

Follow COMBONIANUM – Formazione Permanente on WordPress.com
febbraio: 2017
L M M G V S D
« Gen   Mar »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728  

  • 134,725 visite

Disclaimer

Questo blog non rappresenta una testata giornalistica. Immagini, foto e testi sono spesso scaricati da Internet, pertanto chi si ritenesse leso nel diritto d'autore potrà contattare il curatore del blog, che provvederà all'immediata rimozione del materiale oggetto di controversia. Grazie.

Tag

Aborto Advent Advento Africa Afrique Alegria Ambiente America Amor Amore Amoris laetitia Anthony Bloom Arabia Saudita Arte Arte cristiana Arte sacra Asia Bibi Ateismo Avent Avvento Bellezza Benedetto XVI Bibbia Bible Biblia Boko Haram Book of Genesis Bruno Forte Capitalismo Cardinal Newman Carême Chiamate in attesa Chiesa China Chrétiens persécutés Church Cibo Cina Cinema Confessione Contemplazione Cristianesimo Cristiani perseguitati Cristianos perseguidos Cristãos perseguidos Cuaresma Cuba Cultura Curia romana Daesh Dialogo Dialogo Interreligioso Dialogue Dio Diritti umani Domenica del Tempo ordinario (A) Domenica del Tempo Ordinario (C) Domenica Tempo ordinario (C) Donna Ecologia Economia Ecumenismo Enciclica Enzo Bianchi Epifania Estados Unidos Eucaristia Europa Evangelizzazione Fame Famiglia Famille Family Família Fede Fondamentalismo France Gabrielle Bossis Gender Genesi Gianfranco Ravasi Giovani Giovedì Santo Giubileo Gregory of Narek Guerra Guglielmo di Saint-Thierry Gênesis Henri Nouwen Iglesia India Iraq ISIS Islam Jacob José Tolentino Mendonça Kenya La bisaccia del mendicante La Cuaresma con Maurice Zundel La Madonna nell’arte La preghiera giorno dopo giorno Laudato si' Le Carême avec Maurice Zundel Lectio Lectio della Domenica - A Lectio Divina Lent LENT with Gregory of Narek Le prediche di Spoleto Libia Libro del Génesis Libro dell'esodo Libro della Genesi Litany of Loreto Litany of Mary Livre de la Genèse Livro do Gênesis Madonna Magnificat Maria Martin Lutero martiri Matrimonio Maurice Zundel Medio Oriente Migranti Misericordia Mission Missione Morte México Natale Navidad Nigeria Noël October Oración Oração Pace Padre nostro Padri del Deserto Paix Pakistan Papa Francesco Papa Francisco Pape François Paraguay Paul VI Paz Perdono Persecuted Christians Persecution of Christians Persecuzione anti-cristiani Persecuzione dei cristiani Pittura Pobres Pobreza Politica Pope Francis Poveri Povertà Prayers Preghiera Profughi Quaresima Quaresima con i Padri del Deserto Quaresma Quaresma com Henri Nouwen Raniero Cantalamessa Rifugiati Rosary Sacramento della Misericordia Santità Scienza Sconfinamenti della Missione Settimana del Tempo Ordinario Silvano Fausti Simone Weil Sinodo Siria Solidarietà Spiritualità Stati Uniti Sud Sudan Synod Terrorismo Terrorismo islamico Testimoni Testimonianza Thomas Merton Tolentino Mendonça Turchia Uganda Vatican Vaticano Venerdì Santo Viaggio apostolico Violenza Virgin Mary Von Balthasar
%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: