COMBONIANUM – Formazione Permanente

UNO SGUARDO MISSIONARIO SUL MONDO E LA CHIESA Missionari Comboniani – Formazione Permanente – Comboni Missionaries – Ongoing Formation

Seguir Jesus: O Evangelho de Mateus

Seguir Jesus: O Evangelho de Mateus
Palavra – Testemunho – Comunidade

MATEUS.jpg

Introdução

Como Maria, sentada aos pés de Jesus, iniciamos uma caminhada, progredindo dia após dia no discipulado e na missão. A liturgia do Ciclo A apresenta-nos o Evangelho de Mateus. Ele vai ser o nosso roteiro, o nosso GPS para esta quaresma e nos acompanhará logo a seguir com a experiência do Ressuscitado em nossas vidas pelos caminhos da Vida Religiosa Consagrada em saída profética.

Mateus salienta alguns eixos ou fios condutores: a Palavra, o Testemunho, a Comunidade. Queremos beber dessa fonte de vida, alegria e esperança, para caminharmos com os pequeninos iluminados pela Palavra (Mt 11,25), encorajados pelo Testemunho de tantas pessoas que vivem e semeiam Evangelho nos lugares mais arriscados do planeta (Mt 5,11-12; Lc 6,22-23), e vivendo e celebrando os frutos do Reino em Comunidade (Mt 18,1-35), pois a vida e os pobres nos mostram que “quando se dá esperança aos últimos se confere sentido à toda a realidade”.

Alegra-te e vive o Evangelho!
Mateus 6,16-18

Começamos algumas reflexões sobre o Evangelho de Mateus ao fio das leituras de quaresma, focando o eixo gerador do Evangelho e a finalidade pela qual foi transmitido, contado e escrito até chegar às nossas comunidades. Na leitura atenta, você pode descobrir, passo a passo, as pérolas escondidas e as marcas que o autor foi colocando: como numa cidade! Você vê os sinais e se orienta, assim também a leitura e escuta do Evangelho de Mateus nos orienta no Seguimento de Jesus e na prática libertadora do Evangelho na Comunidade e nos impulsiona para a missão profética até os confins do mundo: “Ide, fazei discípulos de todas as nações” (Mt 28,20).

De entrada, salientamos os eixos e as marcas que o autor foi deixando ao longo do relato, porque o Evangelho de Mateus, como os outros, é fruto maduro de comunidades que escutaram a Palavra do Mestre, seguiram seus passos pelos poeirentos caminhos da Galileia, lembraram suas palavras e sua prática libertadora e comunicaram tudo isso sobre os telhados, porque seu coração de criança não podia guardar para si tanta alegria e beleza. Esse é o segredo que está por trás e por baixo do texto que nos legaram as testemunhas oculares e os ministros da Palavra: uma fonte de Vida, Alegria e Esperança!

Essa fonte pode brotar hoje no coração de cada pessoa e comunidade quando no silêncio do coração deixa que a Palavra de Jesus, com toda a sua força e autoridade, toque a vida dos homens e mulheres de hoje, colocando nossas vidas e comunidades, literalmente, “de pernas para o ar”. Isso acontece cada vez que levamos as palavras e gestos de Jesus a sério, como Francisco de Assis, “vivendo o Evangelho sem glosas”, pois uma “palavra do Evangelho pode preencher toda a vida de uma pessoa” (Olindo Furlanetto), ou como aquela pessoa que estava lendo o Evangelho em Barcelona e fixou a sua atenção: “Amar os inimigos, perdoar de coração…”. Aí ela se tocou e disse: “Isso não pode, não pode, não pode!”. E foi, pegou uma escada e colocou sua Bíblia de castigo por uma semana encima do armário!

Mas, essa é a força interpeladora da Palavra proclamada, nesta quarta-feira de cinzas, quando o Evangelho retoma as três práticas tradicionais: da esmola, da oração e do jejum, e Jesus interpreta como vinho novo do Reino, não como os doutores da lei e os fariseus (Mt 5,20). E Jesus nos convida assim: «Quando vocês jejuarem, não fiquem de rosto triste, como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto para que os homens vejam que estão jejuando. Eu garanto a vocês: eles já receberam a recompensa. Quando você jejuar, perfume a cabeça e lave o rosto, para que os homens não vejam que você está jejuando, mas somente seu Pai, que vê o escondido; e seu Pai, que vê o escondido, recompensará você» (Mt 6,16-18).

E se nós, pessoas e comunidades consagradas, trocássemos em miúdos assim: “Alegra-te: Vive o Evangelho!” não daríamos mais vigor, coragem e solidariedade ao nosso mundo, sedento de vida, alegria e esperança?

Justino Martínez Pérez
Missionário Comboniano


 

Annunci

Rispondi

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

Informazione

Questa voce è stata pubblicata il 01/03/2017 da in Fé e Espiritualidade, PORTUGUÊS, Vocação e Missão con tag .

San Daniele Comboni (1831-1881)

Inserisci il tuo indirizzo email per seguire questo blog e ricevere notifiche di nuovi messaggi via e-mail.

Segui assieme ad altri 1.373 follower

Follow COMBONIANUM – Formazione Permanente on WordPress.com

  • 151,584 visite

Disclaimer

Questo blog non rappresenta una testata giornalistica. Immagini, foto e testi sono spesso scaricati da Internet, pertanto chi si ritenesse leso nel diritto d'autore potrà contattare il curatore del blog, che provvederà all'immediata rimozione del materiale oggetto di controversia. Grazie.

Tag

Aborto Advent Advento Adviento Africa Afrique Alegria Ambiente America Amor Amore Amoris laetitia Anthony Bloom Arabia Saudita Arte Arte cristiana Arte sacra Asia Bibi Ateismo Avent Avvento Bellezza Benedetto XVI Bibbia Bible Biblia Boko Haram Book of Genesis Bruno Forte Cardinal Newman Carême Chiamate in attesa Chiesa China Chrétiens persécutés Church Cibo Cina Cinema Colombia Confessione Contemplazione Cristianesimo Cristiani perseguitati Cristianos perseguidos Cuaresma Cuba Cultura Curia romana Daesh Dialogo Dialogo Interreligioso Dialogue Dio Diritti umani Domenica del Tempo ordinario (A) Domenica del Tempo Ordinario (C) Domenica Tempo ordinario (C) Donna Ecologia Economia Ecumenismo Enciclica Enzo Bianchi Epifania Estados Unidos Eucaristia Europa Evangelizzazione Fame Famiglia Famille Family Família Fede Fondamentalismo France Gabrielle Bossis Genesi Gianfranco Ravasi Giovani Giovedì Santo Giubileo Gregory of Narek Guerra Guglielmo di Saint-Thierry Gênesis Henri Nouwen Iglesia India Iraq ISIS Islam Italia Jacob José Tolentino Mendonça Kenya La bisaccia del mendicante La Cuaresma con Maurice Zundel La Madonna nell’arte La preghiera giorno dopo giorno Laudato si' Le Carême avec Maurice Zundel Lectio Lectio della Domenica - A Lectio Divina Lent LENT with Gregory of Narek Le prediche di Spoleto Libia Libro del Génesis Libro dell'esodo Libro della Genesi Litany of Loreto Litany of Mary Livre de la Genèse Livro do Gênesis Madonna Magnificat Maria Martin Lutero martiri Matrimonio Maurice Zundel Medio Oriente Messico Migranti Misericordia Mission Missione Morte México Natale Nigeria Noël October Oração Pace Padre nostro Padri del Deserto Paix Pakistan Papa Francesco Papa Francisco Pape François Paraguay Paul VI Paz Pedofilia Perdono Persecuted Christians Persecution of Christians Persecuzione anti-cristiani Persecuzione dei cristiani Pittura Pobres Pobreza Politica Pope Francis Poveri Povertà Prayers Preghiera Profughi Quaresima Quaresima con i Padri del Deserto Quaresma Quaresma com Henri Nouwen Raniero Cantalamessa Rifugiati Rosary Sacramento della Misericordia Santità Scienza Sconfinamenti della Missione Settimana del Tempo Ordinario Silvano Fausti Simone Weil Sinodo Siria Solidarietà Spiritualità Stati Uniti Sud Sudan Synod Terrorismo Terrorismo islamico Testimoni Testimonianza Thomas Merton Tolentino Mendonça Turchia Uganda Vatican Vaticano Venerdì Santo Viaggio apostolico Violenza Virgin Mary Von Balthasar

Categorie

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: