COMBONIANUM – Spiritualità e Missione

–– Sito di FORMAZIONE PERMANENTE MISSIONARIA –– Uno sguardo missionario sulla Vita, il Mondo e la Chiesa A missionary look on the life of the world and the church –– VIDA y MISIÓN – VIE et MISSION – VIDA e MISSÃO ––

2019 é Ano da Bacia do Nilo


Nilo

A Iniciativa da Bacia do Nilo (NBI em inglês) proclamou 2019 Ano da Bacia do Nilo para celebrar os êxitos e desafios de vinte anos de cooperação na gestão hídrica da região.

Bacia do NiloA Iniciativa foi lançada a 22 de Fevereiro de 1999 para promover o uso equitativo da água do Nilo pelos dez Estados ribeirinhos (Burundi, Egipto, Etiópia, Quénia, República Democrática do Congo, Ruanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e Uganda) mais a Eritreia (observadora), um território de 3,3 milhões de quilómetros quadrados e com mais de 520 milhões de habitantes.

A Iniciativa representa um marco importante no uso partilhado do Nilo. Em 1929, os Ingleses deram ao Egipto o usufruto exclusivo das suas águas. Como dizia o faraó, «os meus Nilos são meus, fui eu quem os fez» (Ezequiel 29, 3). Em 1956, o Sudão independentizou-se do Egipto e dois anos mais tarde os dois governos dividiram entre si o caudal do rio: 66 por cento para o Egipto e 33 por cento para o Sudão. Os países ribeirinhos a montante podiam pescar e pouco mais.

Foi neste contexto que surgiu a Iniciativa da Bacia do Nilo para um uso repartido das suas águas. A organização representa um passo em frente no desfrute das reservas hídricas da bacia por parte de todos os países ribeirinhos, uma partilha fundamental porque a região atravessa grandes transformações sociais, políticas, económicas e ambientais e precisa de mais comida, energia e água. A Etiópia tinha pouco mais de 66 milhões de habitantes na viragem do século; hoje, conta mais de 109 milhões.

A Iniciativa permite ao Uganda montar uma grande estação de tratamento de água para abastecer Campala, a capital, a partir do lago Vitória e à Etiópia construir a megabarragem Grande Renascença para produção de electricidade.

A área é muito afectada pelas mudanças climáticas. El Niño, o fenómeno meteorológico com origem no Pacífico tropical, provoca secas cíclicas seguidas de inundações cada vez maiores. Depois, há a praga do jacinto-de-água, que cobre parte do lago Vitória com um manto vegetal, mata a vida subaquática, afasta o turismo e aumenta casos de malária.

O Egipto e o Sudão resistiram ao novo ordenamento regional para a partilha das águas da bacia nilótica evocando precedentes históricos. Mas os recursos comuns têm de ser usados por todos para o desenvolvimento socioeconómico sustentável e pacífico da região.

O Nilo é um rio curioso: aliás, são três rios num! O Nilo Azul vem das montanhas da Etiópia e o Nilo Branco das colinas do Ruanda. Ambos atravessam lagos (o Azul passa pelo Tana e o Branco cruza os lagos Vitória, Kioga e Albert). Juntam-se em Cartum (Sudão) formando o Nilo propriamente dito que desagua em delta no Mediterrâneo junto a Alexandria (Egipto).

Ao todo, do Ruanda ao Mediterrâneo, o Nilo mede 6695 quilómetros. O seu vale é habitado por gente com características físicas, étnicas e linguísticas próprias, os povos nilóticos. Entre as espécies autóctones destaca-se a perca-do-nilo, que chega às nossas mesas vinda sobretudo do lago Vitória. O crocodilo-do-nilo é o rei da espécie.

As nascentes do Nilo foram um mistério desde a Antiguidade. O escocês James Bruce (1730-1794) escreveu um livro a contar a descoberta da nascente do Nilo Azul cerca de cem anos depois de o jesuíta espanhol Pedro Páez o ter feito em 1618. O padre Páez viveu na Etiópia entre 1603 e 1622. O padre Páez viveu na Etiópia entre 1603 e 1622.

JOSÉ VIEIRA, Missionário comboniano
Revista Além-Mar, Março 2019

Rispondi

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo di WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione /  Modifica )

Google photo

Stai commentando usando il tuo account Google. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione /  Modifica )

Connessione a %s...

Questo sito utilizza Akismet per ridurre lo spam. Scopri come vengono elaborati i dati derivati dai commenti.

Informazione

Questa voce è stata pubblicata il 19/03/2019 da in Atualidade social, PORTUGUÊS con tag , .

  • 340.169 visite
Follow COMBONIANUM – Spiritualità e Missione on WordPress.com

Inserisci il tuo indirizzo email per seguire questo blog e ricevere notifiche di nuovi messaggi via e-mail.

Segui assieme ad altri 747 follower

San Daniele Comboni (1831-1881)

COMBONIANUM

Combonianum è stata una pubblicazione interna nata tra gli studenti comboniani nel 1935. Ho voluto far rivivere questo titolo, ricco di storia e di patrimonio carismatico.
Sono un comboniano affetto da Sla. Ho aperto e continuo a curare questo blog (tramite il puntatore oculare), animato dal desiderio di rimanere in contatto con la vita del mondo e della Chiesa, e di proseguire così il mio piccolo servizio alla missione.
Pereira Manuel João (MJ)
combonianum@gmail.com

Disclaimer

Questo blog non rappresenta una testata giornalistica. Immagini, foto e testi sono spesso scaricati da Internet, pertanto chi si ritenesse leso nel diritto d’autore potrà contattare il curatore del blog, che provvederà all’immediata rimozione del materiale oggetto di controversia. Grazie.

Categorie

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: