COMBONIANUM – Spiritualità e Missione

Blog di FORMAZIONE PERMANENTE MISSIONARIA – Uno sguardo missionario sulla Vita, il Mondo e la Chiesa MISSIONARY ONGOING FORMATION – A missionary look on the life of the world and the church

Santo António, a usura e o coração


st_anthony_of_padua_miracles_13


O encontro entre António e Francisco foi um encontro entre dois carismas. Fernando torna-se, é verdade, filho de Francisco, mas também foi seu irmão. Fernando tinha um carisma antes de se tornar António, e continuou a desenvolvê-lo mesmo depois do seu encontro abençoado com os Franciscanos, a partir de 1219-1220.

António desenvolveu o magistério sobre a pobreza iniciado por Francisco, no seguimento de Jesus Cristo. Mas muitas das coisas ditas por ele não tinham sido ditas por Francisco, e depois tornaram-se património franciscano e de toda a Igreja graças ao carisma de António. Francisco foi cantor e mestre da pobreza, António foi mestre das insídias da riqueza. Francisco é o santo do «felizes os pobres», António o do «ai dos ricos», duas palavras do mesmo Evangelho, duas palavras da mesma vida.

É no interior das prédicas do nosso santo sobre as seduções das riquezas que deve ser colocada a sua pregação sobre a usura e sobre os usurários, um pensamento e uma ação fundados na Escritura, Antigo e Novo Testamento, que faz de António um dos primeiros “biblistas” “à letra” da Idade Média.

À riqueza, com efeito, está ligado uma das narrativas mais conhecidas sobre António: «Na Toscânia estavam a celebrar-se com solenidade as exéquias de um riquíssimo. No funeral estava presente o nosso Santo António, o qual, sacudido por súbita inspiração, se pôs a gritar que aquele morto não devia ser sepultada em lugar consagrado (…) porque a sua alma estava condenada ao inferno, e aquele cadáver estava privado de coração, segundo o dito do Senhor reportado por Lucas: “Onde está o teu tesouro, aí está o teu coração”.

A esta intimação, como é natural, todos ficaram desconcertados, e teve lugar uma exaltada troca de opiniões. Foram, por fim, chamados cirurgiões, que abriram o peito ao defunto. Mas não lhe encontraram o coração, que, segundo a predição do santo, foi recuperado na caixa-forte onde estava conservado o dinheiro». Um episódio extraordinário, de grande poder pedagógico, antropológico e teológico.

Na Bíblia a usura é condenada porque é uma forma de rendimento, ou seja, um a receita que nasce do possuir e explorar uma posição de poder, não do trabalho e da fadiga

Muitas vezes nos seus sermões António fala da usura e dos usurários: «Diz Naum: “Ai de ti, cidade de sangue. Toda a falsidade, repleta de lacerações, a rapina não se afastará de ti”. A alma vive por meio do sangue, o pobre por meio das suas poucas substâncias. Tire-se ao homem o sangue, ao pobre as suas substâncias. Ambos morrem. Os ladrões e os usurários que se apoderam das coisas dos outros, são ditos “cidades de sangue”. E o sangue dos pobres é frio» (“Sermões”, V).

Os Montepios, as primeiras formas de banca ética e sem propósito de lucro (sem mérito, dizia-se), nascidos para combater a usura, são certamente plantas nascidas no final do século XV da semente de Francisco, mas foram também frutos da palavra e da ação de António.

Da Bíblia António tinha aprendido que a luta contra a usura nasce do amor pelos pobres. Porque a usura é uma taxa patrimonial ao contrário, que pagam sobretudo os pobres – e quanto mais pobres são, mas cara a pagam. Na Bíblia, com efeito, a usura é condenada porque é uma forma de rendimento, ou seja, um a receita que nasce do possuir e explorar uma posição de poder, não do trabalho e da fadiga.

Ainda hoje, sobretudo nestes tempos de escassa liquidez, a usura renasce e cresce, porque há sempre alguns que possuem dinheiro e usam este poder para lucrar sobre quem dessa riqueza está desprovido, precisando dela para viver. Hoje e ontem as vítimas da usura são os pobres. E assim as palavras de António revivem uma extraordinária atualidade: quem ama os pobres odeia a usura (e ama o trabalho). Ontem, hoje e amanhã: «O usurário reduz a deserto a Igreja do Senhor» (António, “Sermões”, exórdio).

Luigino Bruni
In Messaggero di sant’Antonio
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: “Anto António e o coração do avaro” (det.) | Francesco Vecellio (atrib.) | 1511-12
Publicado em 04.06.2020
http://www.snpcultura.org

Rispondi

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo di WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione /  Modifica )

Google photo

Stai commentando usando il tuo account Google. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione /  Modifica )

Connessione a %s...

Questo sito utilizza Akismet per ridurre lo spam. Scopri come vengono elaborati i dati derivati dai commenti.

Informazione

Questa voce è stata pubblicata il 11/06/2020 da in Fé e Espiritualidade, PORTUGUÊS con tag .

  • 493.164 visite
Follow COMBONIANUM – Spiritualità e Missione on WordPress.com

Inserisci il tuo indirizzo email per seguire questo blog e ricevere notifiche di nuovi messaggi via e-mail.

Unisciti ad altri 895 follower

San Daniele Comboni (1831-1881)

COMBONIANUM

Combonianum è stata una pubblicazione interna nata tra gli studenti comboniani nel 1935. Ho voluto far rivivere questo titolo, ricco di storia e di patrimonio carismatico.
Sono un comboniano affetto da Sla. Ho aperto e continuo a curare questo blog (tramite il puntatore oculare), animato dal desiderio di rimanere in contatto con la vita del mondo e della Chiesa, e di proseguire così il mio piccolo servizio alla missione.
Pereira Manuel João (MJ)
combonianum@gmail.com

Disclaimer

Questo blog non rappresenta una testata giornalistica. Immagini, foto e testi sono spesso scaricati da Internet, pertanto chi si ritenesse leso nel diritto d’autore potrà contattare il curatore del blog, che provvederà all’immediata rimozione del materiale oggetto di controversia. Grazie.

Categorie

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: